As 5 funções que um equipamento TIG deve ter

Nenhum outro processo oferece cordões de soldagem mais estáveis e, em termos de sensação e aparência, de maior qualidade do que a soldagem TIG. Além disso, a TIG pode ser aplicada amplamente: o processo é adequado para todos os metais, chapas finas, posições forçadas e passe de raiz. Além disso, nenhuma escória é produzida durante a soldagem, o material quase não se deforma e o processo é praticamente livre de respingos. As vantagens e a ampla gama de aplicações são óbvias. Mas o que é importante observar quando se quer adquirir um equipamento móvel TIG? Quais funções são essencialmente importantes? Cinco pontos importantes devem ser considerados:

……

1. Ignição de alta frequência

Como regra geral, a ignição de alta frequência (AF) é usada na soldagem TIG. Ela cria um arco voltaico entre a peça de trabalho e o eletrodo sem tocar a peça de trabalho com o eletrodo. Para este fim, a tocha de solda é posicionada cerca de dois milímetros acima da peça de trabalho. O arco é então acendido ao se pressionar a tecla de queima. Uma alternativa é o contato de ignição: o arco voltaico é gerado enquanto o eletrodo toca na peça de trabalho. Entretanto, existe aqui o perigo de que o banho de solda seja contaminado por introduções do eletrodo de tungstênio. Essa é uma falha grave, especialmente em trabalhos de soldagem delicados, como na tecnologia médica.

A função Touch HF é a mais adequada para uma ignição simples e direcionada. O procedimento para o soldador é, basicamente, o mesmo que o da ignição por toque. A peça de trabalho é tocada com o eletrodo. Após a retirada, começa o tempo de espera predefinido. O arco voltaico então se acende exatamente no ponto em que o eletrodo tocou anteriormente a peça de trabalho. Mais controle durante a ignição, impossível.

A função Touch HF permite o uso de tochas de solda sem teclas e é uma grande ajuda para cordões difíceis de se alcançar, tais como pequenos tubos.

Há sistemas de soldagem em que é possível alternar entre a ignição de alta frequência e a ignição Touch HF como padrão. Assim, a ignição ideal pode ser selecionada de acordo com a aplicação.

2. Função de aderência (TAC)

TAC vem da palavra inglesa „tacking“. Quando se deseja unir dois componentes transformando-os numa peça de trabalho, primeiramente eles precisam ser fixados na fase de preparação. Por meio de uma corrente de pulsação, o banho de solda é levado à oscilação. Isto facilita a união sem queimar as bordas. Quando a TAC é usada no modo de soldagem a ponto, é possível alcançar sempre o mesmo tamanho de pontos de aderência. A uniformidade dos pontos de soldagem torna a soldagem por sobreposição, em particular, muito mais fácil. Outra vantagem da TAC: a função de aderência permite poucas manchas – na melhor das hipóteses, a ausência de manchas – e também economiza até 50 por cento de tempo em comparação com o pontilhamento convencional.

3. Corrente de redução

A corrente de redução é usada apenas na soldagem TIG de 4 ciclos. 4 ciclos significa:

1º ciclo: ao se pressionar a tecla de queima, o arco voltaico se acende com a corrente inicial

2º ciclo: quando a tecla é solta, o processo de soldagem começa com a corrente de soldagem total

3º ciclo: ao se pressionar novamente a tecla, inicia-se a redução do arco voltaico

4º ciclo: uma nova soltura encerra o processo de soldagem

A soldagem no modo de 4 ciclos é mais ergonômica para o soldador – ele não tem que manter a tecla de queima permanentemente pressionada à mão. A corrente de redução permite ao soldador reduzir ou aumentar a corrente principal, conforme necessário, durante o processo de soldagem. Especialmente quando se muda o material adicional durante o processo de soldagem, é útil reduzir ou aumentar a corrente lentamente. Aqui ajudam os dois tempos de atraso adicionais „Slope 1“ & „Slope 2“. Se, por outro lado, é necessário soldar sobre um ponto de aderência, é necessária uma corrente mais alta do que a corrente principal estabelecida. É necessária uma aplicação de calor maior, porque o material é mais forte nesse ponto.

4. Tolerância de tensão de alimentação

A Power Factor Correction (PFC) permite que uma alta tolerância de tensão de alimentação seja compensada. Isso permite um ótimo controle das flutuações de tensão ou da tensão de entrada insuficiente, como é o caso em locais de construção, por exemplo, devido a múltiplos distribuidores, cabos de rede longos ou ao uso de geradores. Dependendo do sistema de soldagem, os equipamentos ainda podem continuar operando em potência máxima mesmo com 30 por cento a menos de tensão de entrada. Se, por exemplo, apenas 160 volts estão disponíveis, a máquina com a tecnologia PFC mantém a tensão constante a tal ponto que o soldador ainda pode soldar a 170 ou 210 ampères. Isso significa que há sempre energia suficiente disponível para um arco voltaico estável.

5. Conexão TIG Multi Connector (TMC)

TIG Multi Connector é uma conexão uniforme ou uma interface padronizada. Ela permite o controle do sistema de soldagem tanto por meio de controles remotos quanto por meio de tochas de solda com todas as funções adicionais – tais como up/down.

Naturalmente, os vários equipamentos TIG oferecem muito mais funções: desde um desligamento automático até uma função de teste de gás. Uma característica que todas as máquinas TIG também têm em comum é a soldagem por eletrodos. Como os equipamentos são baseados em um inversor de ressonância digital, a linha sinérgica de saída ideal fica disponível para ambos os processos. Com todas essas possibilidades, quais funções não podem faltar de forma alguma em seu sistema de soldagem?

Está procurando por um equipamento TIG? Então dê uma olhada no novo TransTig 170/210 da Fronius. Uma máquina com todas as características imprescindíveis e ainda mais: ciclo de trabalho de 40% e tensão de alimentação de 96 V a 265 V.

Compartilhe as suas ideias